As franquias de alimentação estão entre as mais procuradas por potenciais investidores, figurando no 2º lugar do ranking de segmentos mais cotados para empreender em 2015. Segundo pesquisa da Associação Brasileira de Franchising (ABF), trata-se de quase 24 mil unidades franqueadas do segmento em operação no Brasil.

O número de franquias do segmento cresceu 10% em 2015 quando comparado a 2014. Tal balanço positivo, mesmo neste período de instabilidade da economia brasileira, comprova o otimismo dos investidores e a alta busca por segurança no sistema de franchising.

Apesar de a maior parte das franquias de alimentação exigirem um alto investimento inicial, há franquias de menor investimento inicial no ramo, algumas até em modelo home based (franquias para trabalhar em casa), que não necessitam de grandes aportes financeiros.

Dentro das praças de alimentação dos shopping centers, cerca de 60% dos pontos de venda são franquias. Segundo indicadores analisados pelo TOP Franquias, as franquias de alimentação faturam, em média, R$ 100 mil por mês.

Além disso, as unidades do segmento apresentaram o segundo maior crescimento nominal em relação ao PIB brasileiro, com 12,7%, perdendo apenas para o segmento de Acessórios Pessoais e Calçados.

No atual período de crise e recessão da economia brasileira, as franquias representam a melhor opção a investidores, por já possuírem marca e know-how estabelecidos no mercado.

Abrir seu próprio negócio sozinho sempre foi difícil, Nesta fase de instabilidade, é ainda mais arriscado. Portanto, para que correr riscos desnecessários, sendo que há o sistema de franchising para diminuir as dificuldades?

(Fonte: Sebrae)